A pandemia do Coronavírus chegou para todos instalando uma situação inédita e não planejada para escolas e famílias. Em um primeiro momento, prevaleceu a insegurança de não saber o que ia acontecer e todos, professores e famílias, em home office começaram a tentar se adaptar buscando formas de se relacionar para lidar com as novas demandas.

Para as famílias, esse período tem trazido demandas como:

  • Receber as atividades de cada filho, tem famílias com três ou mais filhos;
  • Organizar a rotina dos filhos para que cada um consiga fazer as atividades;
  • Acompanhar cada filho, principalmente, quem tem filho pequeno a fazer as tarefas;
  • Tem filho que não quer fazer;
  • Tem filho que não sabe o conteúdo;
  • Tem filho que resiste aceitar ajuda da mãe ou do pai;
  • Cada filho traz um desafio pessoal seja ele conceitual (sobre o conteúdo), procedimental (como fazer) ou atitudinal e de habilidades socioemocionais (aceitar ajuda, pedir ajuda, falar que não sabe, falar que não vai conseguir, falar que não quer, entre outros).
  • E as famílias estão recebendo as tarefas e tendo que lidar com todos estes desafios de ser um pouco professor!

Tem famílias que os pais continuaram a trabalhar, outras que um dos membros (mãe ou pai) está de home office e continua tendo as demandas do trabalho, ou seja, tem que conseguir trabalhar de casa. Além disso, muitas famílias que tinham ajudantes em casa, dispensaram as funcionárias e também precisam fazer as tarefas domésticas.

Então imagina, esse pai ou mãe que está em casa de home office trabalhando, o chefe está cobrando, tem as tarefas do(s) filho(s), as demandas da casa e as preocupações todas deste momento, medo de ficar doente ou pode estar com alguém doente, cuidando da casa e passando álcool em tudo e todos…

Há que se considerar que TODOS NÓS, de uma hora para outra, fomos colocados nesta situação. Haja resiliência a habilidades socioemocionais para sobreviver!!

Para estas famílias ou membro da família que está nesta situação exercito minha empatia de reconhecer que você pode estar se sentindo cansado, aflito, com medo, angustiado, esgotado de tantas demandas e sugiro EXERCITAR as habilidades socioemocionais, tais como:

  1. Estabelecer uma rotina com seu filho começando pelas atividades obrigatórias da escola, alternando com atividades livres, brincadeiras e coisas que ele goste de fazer!
  2. Envolver seu filho(a) nas tarefas domésticas, é um bom exercício para autonomia e responsabilidade, importante momento para você pedir ajuda e compartilhar responsabilidades!
  3. Separe horas do seu dia para que você possa estar verdadeiramente disponível para estar junto com ele, seja para fazer as tarefas escolares seja para vê-lo brincando ou fazer algo juntos! É uma excelente oportunidade para cuidar do vínculo afetivo, dar risadas, dar e receber carinho!
  4. Como nem tudo são flores, quando você não estiver bem, tudo bem!! É tempo de autocuidado, permita-se sentir, aproveite para falar sobre sentimentos e aceite-os como “ondas que vão e vem”, estamos vivendo tempos difíceis!! Você também pode escolher fazer coisas que você sempre teve vontade. Aproveite esta oportunidade para ler o livro ou ver a série que você queria, pintar, bordar, jogar videogame, praticar mindfulness ou oração, ou seja, escolha fazer coisas que te tragam bem-estar! Se seu sofrimento tiver muito intenso, conte para alguém ou procure um atendimento psicológico on-line.

Agora com relação aos professores, eles também foram pegos de surpresa, não estavam preparados para esta pausa abrupta. E estão buscando as melhores alternativas para manter a relação pedagógica e o vínculo com os alunos e famílias!

Aos meus colegas professores expresso minha solidariedade e apoio na busca das melhores alternativas para manter uma educação de qualidade à distância. Com certeza esta sendo um período de importantes aprendizagens!

Para aqueles que relutavam em pensar na possibilidade do ensino a distância na Educação Básica, agora não tem jeito, se tá numa cilada, só não está sozinho e vamos juntos encontrar e aprimorar as nossas práticas educativas mediadas pelas tecnologias!!!

Para vocês professores também convido ao exercício das suas habilidades socioemocionais na relação com as famílias!!

  1. Primeiramente, exercitem a expressão de sentimentos, gravem vídeos e digam para as famílias como vocês estão se sentindo!
  2. Exercitem as habilidades de ouvir as dificuldades das famílias;
  3. Se disponham a se colocar no lugar das famílias, como disse acima, estão assoberbadas com as tarefas de “ser professor” em homescholling obrigatório;
  4. Compreendam as necessidades de cada família, quem tem um filho é uma coisa, quem tem três ou mais é outra completamente diferente;
  5. Estejam à disposição para inserir encontros online ao vivo para ajudar as famílias;
  6. Por fim, pratiquem a comunicação, estejam nos diferentes canais de comunicação dispostos a ouvir e compartilhar com as famílias orientações importantes e esclarecimentos sobre o planejamento para cada semana!

As equipes escolares podem exercitar o trabalho colaborativo para juntos buscarem alternativas que levem em consideração às necessidades das famílias! Com certeza este será um importante momento para fortalecer as relações de confiança e reciprocidade entre família e escola!

Texto escrito por Andrea Rosin Pinola

Siga-nos nas redes sociais – Instagram @ser_educativo, Facebook e Youtube- Instituto Ser Educativo

Aos pais e professores, sugiro ler: https://saudemental.blogfolha.uol.com.br/2020/04/04/pratica-de-mindfulness-ajuda-a-enfrentar-angustia-durante-a-quarentena-conheca-tecnicas/?utm_source=whatsapp&utm_medium=social&utm_campaign=compwa